Música Xote do Metrô – XIV Festival de Mpb de Pereira Barreto

Compartilhe:

{mp3remote}https://www.pereirabarreto.sp.gov.br/images/stories/audio/mpb14/09-xote-do-metro-djalma-chaves.mp3|900|22|1{/mp3remote}

{tab=Letra}

 

Minha cara, me lembrei da tua cara, saindo da Jabaquara,

Encarei a solidão na conceição.

Sigo meu caminho e persigo um amor mal resolvido, que nasceu numa estação.

Na liberdade encontrei com um nissei, cujo nome eu não sei.

Perguntei pela sansei.

 

Ele me disse, pelo pouco que eu sei, ela fugiu
com Hiroito, um fidalgo japonês.

O metrô vai, vai.

O metrô vem, vem.

E eu levo a vida no balanço desse trem                      

O metrô vai, vai.

O metrô vem, vem.

 

Traz todo mundo, só não traz meu grande bem.

Chorei e voltei pro paraíso.

Quase perdi o juízo, descarrilando na solidão.

Lá pelas tantas, baldeei pra linha verde.

 

 

 

 

 

 

Fui pra Vila Madalena procurar a Madalena.

De bar em bar, eu soube a duras penas,

Que ela agora ganha a vida fazendo pornô cinema.

 

Refrão

Voltei e saltei na estação da Sé.
Fiz até uma promessa pro Divino São José.
Meu São José.

Na 25, comprei meias vivarina e um sutiã de silicone, conhecido como Umbrá.
Pra te presentear vou ter de te encontrar.
De cima abaixo nessa linha eu vou andar.

 

Refrão

Procurei na Luz não te achei, “tava” escuro, um eclipse total.
Armênia, Tietê, Carandiru, Santana, Jardim São Paulo, Tucuruvi não te vi.
A minha sina é viver sem essa mina.
Vou deixar de ladainha, pois cheguei no fim da linha.

Refrão

        

 

{tab=Artista} 

 

LETRA

 

DJALMA CHAVES

 

INTÉRPRETE

 

ANDRÉ FERNANDES

 

CIDADE

 

SÃO LUÍS-MA

 

{tab=Data de apresentação}

Sexta-Feira 10/10/2013

09ª Música da noite
{/tabs}

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *