MÚSICA A FLOR E O REPENTISTA

Compartilhe:
A FLOR E O REPENTISTA
Letra: Carlos Gomes
Intérprete: Ivânia Catarina    
Cidade: Praia Grande –SP

{mp3remote}https://www.pereirabarreto.sp.gov.br/images/stories/audio/mpb132/04.mp3{/mp3remote}
 

Um mambembe solitário, um violeiro da caatinga
Carente de abecedário mas em verso e prosa, vinga
Com as suas improvisações em tons acolhedores
Arrancava aplausos das senhoras, dos senhores
Arrancava os gritos ensurdecedores das meninas

 

E eu, flor do norte de Minas
Com fé em Deus, Nossa Senhora
Pedia, como graça, pra que não fosses embora

Andarilho, repentista rei, no sertão, no agreste
Nunca deixou nenhum verso escapulir sem luz celeste
Com suas ricas aliterações, palavras dóceis, serafinas
Dádiva da vida, chamou-me de divina diva
Eu, toda cativa, me dei de corpo e alma ao cantador

E eu, ´inda menina flor
Virando escrava e ele senhor
E, assim, seguia até ele sair de meu calor

Do martelo agalopado, glosador e cordelista
Do galope à beira-mar, da embolada, grande artista
Com sua fértil imaginação fazendo susto e alarido
Afrontava o demo com a sanha de um leão ferido
Depois se acalmava se enrodilhando em mim

E eu: o abrigo, a musa, a inspiração
Em meu ventre: seu delicado grão
Queria que quisesses mais a mim que ao sertão

E partia com o sol esturricando o chão
E eu, tão só, em oração:
Pedia que quisesses mais a nós que ao sertão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *